terça-feira, 3 de junho de 2008

A PRIMEIRA OPERAÇÃO NÃO SE ESQUECE...

Primeira vez que entrei na faca (Risos).

Por onde eu começo... Bem, tudo começou quando senti dores enormes na região direita da barriga. Era 22:00 horas na noite de Domingo 25 de maio. Avisei minha mãe e fomos até o hospital. Mas já suspeitava que era Apêndice por causa dos sintomas e esse tipo de coisa precisa ser tratado com rapidez porque é algo complicado. Chegando até o hospital, fiz alguns exames rotineiros e uma radiografia. Batata! Acertei na mosca, era Apêndice...


Ainda bem que estava no começo da infecção porque se tivesse estourado o negócio ficaria complicado. Mas lembro que fiquei muito puto durante o exame de radiografia. O médico era um japonês (nada contra), deitei na maca, então foi posto uma espécie de gel na região da barriga e o médico analisava a região observando em uma tela enquanto passava uma espécie de sensor manual em minha barriga. Desgraçado! O cara apertava com o sensor a região inflamada com tanta força e eu ficava pensando: "E SE ESSA MERDA DE INFLAMAÇÃO RESOLVE ESTOURAR". Ele perguntava se doía e lógicamente eu falava: Claro!... O cara não tem bom senso? Na minha opinião não precisava apertar tanto aquele sensor para fazer a varredura. Doei muito mesmo. Ele ia e voltava apertando o sensor. E digo mais, se estourasse a inflamação, eu poderia ter ficado na U.T.I.


Beleza! Depois de tudo isso, fui internado no mesmo dia. Passei a segunda-feira (26 de maio), na cama o dia inteiro tomando soro e outros medicamentos pela veia. Coisa que é muito desconfortante ficar com aquelas mangueirinhas enfiadas no braço da gente.


No mesmo dia as 18:00 fui para a sala de operação. Pegaram uma gillete e rasparam a área onde iriam fazer o corte (cinco centímetros era o corte). Aplicaram anestesia geral chamada RACK eu acho. Anestesia poderosa viu! Apaguei e não senti NADA! Isso foi bom. Acordei da operação quando já estavam colocando os curativos. Durou mais ou menos 50 minutos a operação.


Aí veio uma das piores partes do processo! Se livrar do estado anestésico. Porque da cabeça para baixo, meu corpo estava morto. Nada mexia, absolutamente nada. Lembro que as primeiras partes que começaram a mexer foram minhas mãos. Aquele estado para mim era desconfortante demais. Depois mexi os braços e um pouco do tronco. Mas minhas pernas ainda não davam sinal de vida. Eu respirava fundo... Passou um tempo, senti meu dedão da perna direita mexer. Meu Deus foi um alívio. Depois consegui rotacionar o pé. Enquanto a perna esquerda nada! Mas tarde conseguia dobrar a perna. E lembro que com a perna esquerda foi diferente porque tive que usar as mãos e movimentá-la manualmente para sair logo do estado anestésico. Ufa!


Fui levado ao quarto de internação onde dividi com mais dois pacientes. Um gordão muito bacana chamado Genário e outro senhor chamado Donizete.


Outro momento difícil foi URINAR. Porque a anestesia não tinha passado totalmente e as últimas partes a voltarem ao normal foram as "nádegas e meu pênis". O bichinho estava morto! (Risos). E minha bexiga estava cheia e eu queria muito urinar. Aí que percebi que não basta seu cérebro enviar o comando para a região se o seu membro não responde. (Risos). Eu pegava, mexia com a mão e nada. Impotência total! Apertei a campanhia que ficava do lado da cama para chamar os enfermeiros. Veio o médico e disse que eu estava morrendo de vontade para urinar e perguntei se não poderia enfiar uma sonda em meu pênis. O médico disse que é um processo complicado porque poderia correr o risco de infecção e ele me aconselhou a esperar e segurar por MAIS 1 HORA! Pensem comigo gente. Eu estava com a bexiga cheia, começando a doer por causa disso e tinha que esperar mais 1 hora para ver se a anestesia do meu pênis passava. Fui forte!


Passado uma hora pedi ajuda para os enfermeiros para me levar até o banheiro. Sentei no vaso e para entrar no clima da coisa, deixei a torneira da pia aberta para ouvir o som da água descer e meditei... concentrei... rezei... e senti o bendito! Começou a pingar! A cada pingo era um alívio. Isso demorou 15 minutos. Beleza já poderia urinar mais ou menos naturalmente.


No dia seguinte o médico veio para checar a operação e fazer algumas perguntas. E pediu que eu não ficasse o tempo todo deitado e que começasse a andar no corredor. Isso era importante para colocar meu intestino em funcionamento. Lembrei que não conseguia soltar gazes. Comecei a andar pra lá e pra cá no corredor do hospital e enquanto andava o engraçado é que conseguia soltar gazes, coisa que não se consegue soltar parado. E foi assim, a cada 1 hora eu andava um pouco, mas eu andava como um velho (lembram do Sr Burns dos Simpsons), era igual.

Ao andar pelos corredores do hospital, eu via as outras pessoas também internadas. Casos mais complicados que o meu. Me lembro que em um quarto tinha uma velhinha que tossia demais e dava muita dó. Não sabia o problema dela mas parecia muito triste. Hospital é um lugar muito triste para mim...


Outro fator chato é que eu não podia comer e nem beber água! Fiquei de jejum por 3 dias. Imaginem. Deitado numa cama sem comer e nem beber e assistindo televisão onde passava comerciais do Mc'Donalds. Eu pensava... Quando sair daqui vou comer 10 lanches de uma vez!


Somente no terceiro dia me deram comida, se é que posso chamar de comida, porque só podia comer GELATINA e TOMAR CHÁ DE CAMOMILA. Combinação perfeita. Foi Gelatina com chá de manhã, tarde e noite. Mas afirmo que com a fome que eu estava, a primeira gelatina foi a coisa mais gostosa que comí na vida. O melhor tempero é a fome!!! Mas eu odiava chá de camomila e perguntei pra enfermeira se não podia trazer suco ao invés de chá. Ela disse que não podia porque tinha que ser chá porque era leve para meu estômago. Pensei... Mas não dá no mesmo chá ou suco. Os dois são feitos com água! Aff... é muita burrice pra minha cabeça.


Outra hora o médico veio como de rotina e perguntou se eu já havia conseguido defecar! E eu lembrei que fazia 3 dias que não conseguia. Isso é algo que contarei a diante. Mas eu não conseguia mesmo!


No quarto dia (Quinta dia 29) eu já brincava com as enfermeiras e perguntava se a minha FEIJOADA já estava pronta. O pessoal do quarto davam risadas. No café da manhã, já vinha a bendita gelatina e o chá de camomila. Mas pra minha surpresa meu almoço foi sopa e que sopa. Frango desfiado, com sopinha de macarrão e purê de abóbora e finalmente SUCO!

Fui liberado no mesmo dia a tarde (17:00). FINALMENTE! Não aguentava mais ficar ali. Ficar internado e não ter nada pra fazer é uma coisa muito chata mesmo. Ainda bem que levei umas revistas para ler e aprendi a jogar jogos no meu celular. Aff... O que leva alguém a fazer quando não se tem nada. Voltei pra casa (mas ainda não conseguia defecar).


Sexta-feira dia 30 de maio de 2008. Em casa com todas as minhas máquinas de entreterimento (TV a Cabo, Computador e Playstation), é outra coisa (Risos). Suspirei aliviado. Minha casa, meu quarto, minha vida. OBRIGADO MEU DEUS! Mas ainda não conseguia defecar!


Dormi na sexta-feira com vontade de defecar, mas não conseguia porque para fazer tal proeza, precisamos da força abdominal da gente... se não! A cada tentativa de força, eu me retorcia de dor por causa do corte na barriga. Não dava pra fazer. Parecia que os pontos iriam estourar.

Foram 3 horas de tentativa e erro (Risos).


Sábado dia 31... Tinha que ser agora ou nunca, porque sentia um pouco de dor porque não conseguia defecar. Lembrando que era o sexto dia sem fazer necessidades. Fui no bandeiro e tentei... tentei... Meu Deus me ajuda só hoje por favor! (Risos). Pensei que iria estourar os pontos porque a força para executar a façanha era tremenda. Eu suava feito um porco. Acho que era a mesma sensação de uma mulher ter um filho por parto natural... Tenho certeza! Mas no final eu consegui depois de muito esforço. Caiu uma lágrima de felicidade...


Todas as funções do meu corpo voltaram ao normal... estava aliviado. Hoje estou bem melhor obrigado!


Essa foi a minha primeira operação e espero que seja a última!


Conselho a todos...


"Cuidem muito bem da saúde de vocês! Façam exames periodicamente. Façam exercícios físicos. Dê mais valor a sua saúde. Ela é importante... E posso afirmar que não tem coisa melhor do que urinar e defecar!


Obrigado.


Escrito por Franciney A.L.

3 comentários:

Would ? Waldi disse...

Ney espero que você se recupere rapido ok....
Mas deixa de ser palhaço um abraço...

Gisele disse...

Nossa Ney, só vc pra fazer de uma cirurgia uma história tão cômica... kkkkkkk
Amigo adorei seu blog... há alguns anos atrás eu também tinha um mas infelizmente tive que fechar... quem sabe eu não volte algum dia?
Bjo e boa sorte com seu novo espaço!!!!

Conde Vlad Drakuléa disse...

E eu ainda não tirei o meu... Eis aí algo para se providenciar agora em 2009! Mas você sobreviveu e encarou tudo com teu bom humor de sempre, e isso é importante! Afinal, não é um simples apêndice que irá abater um grande guerreiro samurai como tu!
Sou teu fã, e te envio uma grande abraço :)

Le Comte